Seja Bem-Vindo ao Blog da VEKA

VEKA realiza planejamento das unidades

A VEKA do Brasil foi a sede do ABC Meeting - Argentina, Brasil e Chile, que planejou os próximos cinco anos da empresa nas áreas financeira, comercial e técnica dos três países. O encontro contou com a presença de profissionais e dirigentes, inclusive da Alemanha, sede do grupo que é líder mundial em perfis de PVC para portas e janelas.

O Chefe de Planejamento e Controle da VEKA, Michael Pattalon, que veio da Alemanha, projetou um crescimento mundial importante em 2017. "Em 2016, ultrapassamos 1 bilhão de euros de faturamento. O maior crescimento foi nos Estados Unidos, mas a América Latina como um todo também avançou. Esperamos um controle da crise e pelo menos uma estabilização da economia no Brasil", avaliou.

Para Rodrigo Fontana, Diretor Comercial e de Marketing da VEKA no Brasil, a integração entre as unidades sul-americanas, com o apoio permanente da matriz, ajuda no aperfeiçoamento do produto para um mercado cada vez mais atento aos diferenciais do PVC. "Já avançamos e lideramos o mercado por conta de nossa qualidade. Com a melhora esperada no cenário econômico, sem dúvida, este ano e os próximos serão marcados por um crescimento consistente", considerou.

Raul Ladousse, Gerente Geral da VEKA na Argentina, lembrou que o país superou recentemente as restrições que existiam para importações. "Com isso, 2017 deve ser um ano de maior crescimento do PVC, que já tem seu preço equilibrado com o do alumínio no país. Na Argentina, as casas ocupam 90% do mercado do PVC, embora haja um crescimento nas vendas para grandes edifícios", relatou.

O Gerente Comercial da VEKA no Chile, Carlos Galvez, disse que o país deve manter este ano o crescimento em torno de 15%, verificado em 2016. O Chile é o país onde o PVC ocupa o maior mercado na América do Sul, com 42% em relação a outros materiais. "Os grandes edifícios são os que mais usam. O clima e uma economia estável há mais tempo ajudam nesse desempenho", afirmou. "Também é importante a competitividade que temos, pois os construtores querem ter o PVC nos seus prédios para se diferenciarem, oferecendo mais qualidade aos seus clientes", concluiu.

O chileno Andres Guzman, responsável pelo controle da holding na América do Sul, afirmou que, apesar de eventuais crises econômicas, o mercado cada vez mais opta pelo PVC, e em especial, pelo produto da VEKA, por sua qualidade. "A tendência no Brasil é que haja uma melhora na economia e que o país saia logo da crise", analisou.

A Gerente Financeira da VEKA do Brasil, Silvia Machado, confirmou essa constatação. "Em janeiro e fevereiro, que historicamente são meses difíceis, conseguimos atingir as metas. Isso mostra que o ano deve realmente ser melhor, com crescimento", disse.

DESAFIOS TECNOLÓGICOS

Placionei Borges, Gerente Técnico da VEKA no Brasil, apontou que um dos grandes desafios na área tecnológica são as portas para grandes vãos, de 2,70 metros a 3 metros de altura. "São mais pesadas e exigem mais do sistema. E a VEKA sempre busca o melhor, por isso estamos sempre nos aperfeiçoando", explicou.

A vinda do Gerente Técnico para Mercados de Exportação, Dirk Lehmann, da Alemanha, foi justamente para contribuir com a melhoria do suporte e das novas tecnologias para os sistemas. Como na Europa o sistema está bem avançado para atender portas em grandes vãos, é fundamental a adaptação dessa tecnologia para as demandas locais. "Na Europa, estamos avançando bem na questão da maior automação. Lá, os pontos mais importantes para a escolha do PVC são o conforto térmico, em função do clima, e a segurança contra arrombamentos".

AVALIAÇÃO

Para Robert Höpfner, Diretor da VEKA para a América Latina, "o encontro foi altamente positivo, pois trocamos experiências essenciais para este planejamento e para a VEKA apresentar um produto cada vez melhor". Rodrigo Fontana reafirmou que o planejamento apontou para um avanço do PVC e da VEKA em um mercado que exige qualidade. "E é exatamente o que oferecemos, qualidade, atendimento das normas técnicas, maior conforto térmico e acústico, com design e preços competitivos", finalizou.

 

  
 Fotos: Carlos Alves